segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Carta aberta ao público


Bom, não é de hoje que muitas pessoas ficam revoltadas ou não entendem nossas esquetes. A nossa última, "Parabéns Papai", acabou revoltando e chocando bastante gente. Quero deixar claro que esse não é nosso objetivo.

O humor desse país no geral é muito atrasado, bundão e politicamente correto. Eu entendo que muitas pessoas possam não assimilar e até achar agressivo parte do nosso material mas quero lembrar que o que fazemos é FICÇÃO e mais que isso, HUMOR.

Eu acredito plenamente que o humor é o espaço de se fazer o absurdo. Não queremos agredir ninguém que sofre ou sofreu com nenhum problema em momento algum de forma inconsequente. É que simplesmente NÃO É VERDADE, o GANGBANG é um mundo fantasioso que quase se aproxima de um desenho animado e realmente achamos engraçado o absurdo e falta de noção que seria se você ligasse a tv e realmente passasse um musical com uma letra assim. Prestem atenção, se isso fosse algo realmente sério, não seria engraçado. É engraçado você imaginar o que causaria algo assim, você rir de algo que abominaria se fosse real.

Desde pequeno eu cresci vendo séries como South Park onde nada é tabu para se fazer humor e realmente acho que o Brasil está muito atrasado nesse sentido. Eu entendo casos de pessoas que tem bastante referencia, são inteligentes e mesmo assim não gostam do nosso humor, acho que é algo de gosto pessoal e eu respeito.

O que eu não gosto é que a maioria das pessoas que não entendem algo diferente, se sentem ofendidas por não entender e se tornam agressivas ao conteúdo por se sentirem inferiores. Se você não entende alguma coisa, você tem que no minimo entender do que está falando antes de falar mal.

Se todas pessoas levassem a ficção para o lado pessoal, NUNCA teriamos algo original e na real nunca teriamos nada de muito bom. Parem pra pensar, se apontarmos o dedo pra qualquer coisa que seja, podemos criar um grande problema em torno disso. Piadas com homossexuais por exemplo, que é algo que aqui no Brasil todo mundo considera normal e eu sinceramente não vejo graça. Tudo que disseram sobre essa nossa esquete, pode ser dita a piadinha de homossexual mais "inocente" que estamos acostumados, como alguém copiando trejeitos estereotipados.

Um fã do Gangbang de 16 anos, que participou de uma gravação nessa última semana disse pra gente "Eu tava vendo o Tetra, que o Adriano fica na cadeira de rodas e parece que vocês tão zuando com isso, mas na verdade se você evita falar sobre esse nicho de pessoas, você está sendo preconceituoso, excluindo elas do humor", não exatamente nessas palavras, mas isso.

Essa é uma carta aberta para todos que acham que estamos fazendo humor para chocar ou agredir. Não estamos. Estamos apenas fazendo um humor livre, e que não seja politcamente correto. Se achamos uma idéia engraçada e original, pode acreditar que iremos faze-la, se sentirmos que é o que tem que ser feito. Isso é a verdadeira liberdade de expressão, isso é a verdadeira arte e, desculpe a quem discorda, mas acredito que esse é o verdadeiro e mais sincero humor.

Yuri Moraes

6 comentários:

Iury Chalita disse...

As pessoas têm medo daquilo que não estão acostmadas e, como uma forma de defesa, acabam se tornando agrassivas contra essa novidade.

Admiro vocês e tomo como referência muito do que a Trintaeum cria.

Paula disse...

Admiro esse "absurdo" de vocês. Me pego rindo às vezes por não acreditar no que estou vendo, é uma risadinha gostosa.

Continuem criando sempre, meninos!

Nik Gromik disse...

Pow cara essa é a verdadeira mensagem de humor do Gangbang,uma mensagem subliminar para quem quer entender.eu estou honrado a um dia ter gravado com esses caras!! Parabéns é disso que o brasil precisa entender!!

Pneumatico disse...

Sinceramente não entendi o propósito dessa carta aberta. O público não gostou da esquete, e o texto parece querer me convencer que a sua esquete é legal por que "é o humor que temos lá fora e o Brasil está atrasado".Desculpe, mas isso não faz do seu vídeo um vídeo legal.
Assim como você, acredito que não há regras para a arte. A arte é tem fim nela mesma. A verdadeira arte não é aquele que aparece como crítica de um momento, mas sim aquela que é pura, atemporal e não perde sua significação fora de um contexto específico de uma época específica.
Encontrei os filmes de vocês por acaso e o primeiro que vi foi o "Ação". Realmente uma sacada muito boa e de longe o melhor vídeo de vocês. Mas o resto tem um quê todo especial de coisa de adolescente pseudo-revolucionário que "não gosta de seguir com a maioria", o que particularmente eu acho uma grande bobagem. Você se ofender com as pessoas que ficam agressivas ao conteúdo porque não entendem pode indicar algum mal-estar no que você estão fazendo.
Longe de mim dizer que você estão fazendo humor para "chocar". Mas ouvir apenas a opnião de quem é "inteligente, tem referência e não gosta do humor de vocês" é pedir para fazer um humor que só olha para o próprio umbigo. Se só meia-dúzia de amigos acha engraçado o seu humor, talvez você não estejam sendo tão engraçados quanto acham que estão e vão acabar do mesmo jeito que os inúmeros grupos de humor que passaram pelo comédia MTV. Por favor, lutem contra a tendência natural de quem estuda cinema de fazer um "humor alternativo".
Se ele fosse tão bom assim, não seria alternativo. E isso você não pode negar.

CEO Trintaeum Filmes disse...

Estamos trabalhando com uma empresa de Marketing para melhorar o nosso humor para seu gosto pessoal. Ano que vem, todas esquetes se parecerao com "Acao". Obrigado

Cromatico disse...

Bom, vamos la.

Publico 'e relativo. MUITA gente adorou a esquete.

Ninguem esta querendo convencer ninguem de nada, voce gosta do que quiser.

A nona sinfonia era uma critica de momento e mesmo assim se manteve atemporal. Nao acho que o GANGBANG fa'ca nada muito temporal. Quase nunca usam referencias pops ou de epoca, 'e um humor bem pessoal.

Se voce acha que "nao seguir com a maioria" 'e uma bobagem, eu sinto muito. Agora adolescente... ME desculpe. rs

O mal-estar definitivamente nao 'e com o que estamos fazendo, mas pra quem estamos exibindo. Existe um mercado criativo muito pequeno no pa'is e 'e uma pena ter que "seguir com a maioria" pra dar "certo".

Nao 'e uma questao realmente de ouvir ou nao ouvir pessoas. O GANGBANG faz o que acha que tem que ser feito, o que acha engracado. Se o publico se identifica depois, melhor. Mas isso nao faz com que o trabalho seja melhor ou pior pro GANGBANG.

Muito mais de meia duzia de pessoas gostam, mas isso 'e meio um papo idiota. O publico do GANGBANG 'e otimo e vem crescendo cada dia mais.

So exitiram 2 grupos de humor no comedia MTV. rs

Essa frase de "se fosse tao bom nao seria alternativo" 'e a maior babaquice que ja li. Series brilhantes comecaram sem publico nenhum e foram ser reconhecidas depois de 3, 4 anos. Ate entao eram "alternativas". Monty Phyton, Seinfeld so pra comecar.

Quando um canal ousa com algo sincero, as pessoas demoram pra aceitar, mas quando aceitam, tem todo um gosto diferente e duradouro.

Cheers.